terça-feira, 9 de outubro de 2007

Melodrama

Eu não sei o que dura para sempre. Só sei da minha obsessão em fazer durar. Aquela vontade de ficar presa ao que me deixa contente.
Entretanto, sinto que estou te perdendo. Um sentimento quase egoísta. Eu sinto, não temo. O abrir mão se aprende com o tempo. Quanto a mim, não vou aprender, vou me acostumar, vou me conformar.
Criança! Em que mundo você quer viver? Você sonha? Com o quê? Queria te ajudar. Será que posso?
Interferências. Tenho de me conter em fazê-las. Não ousar encostar em nada para mudar a vida alheia.
Me deixa te ninar, mesmo que você já seja quase um adulto...
Para mim você é um presente, uma janela para eu ver o tempo passar nos seus olhos.
Como vai ser daqui dez anos? Não quero apenas te sorrir e deixar passar como se nada tivesse acontecido. Não quero te olhar como se tivesse te perdido.
Eu ouço sua voz rouca comigo - souvenir de uma viagem indescritível. Acho que ainda não vi seu sorriso verdadeiro.

2 comentários:

Rodney Hanter Porlok disse...

Olha! Pela primeira vez honestamente falando: Gostei! :O... O_O...
Mas... não entendo completamente. Você que escreveu certo? Por que? Qual a lógica? Pra quem? Estranho viu... mas achei legal... mais um pouco e roubo o texto pra mim... hehehehe...
Enfim...
Vi um seriado supimpa ontem... Pushing Daises... se puder assista... to baixando o segundo... só tem 2 episodios até agora parece...
Enfim...
Não vou mais ler os posts pq a pagina inicial do blog só mostra até esse... e eu to com preguiça... e mais uma coisa... não posso apenas elogiar, tenho que zoar tb...
HAHA, não foi pra sampa dia 13... foi mó legal... xD

Mokitty disse...

Que bom que enfim você gostou! ^^
Eu que escrevi sim, porque duvida? Alguma vez postei no blog algo que não tenha sido tecido pelos meus dedos?
Escrevi para desabafar. Às vezes é preciso! Mas não quero revelar para quem direciono... só acho que de alguma forma inevitável, eu vou perdê-lo... o que ao mesmo tempo não passa de uma metáfora sobre tudo em nossa vida.

Reader