domingo, 2 de dezembro de 2007

Regresso

Eu sei que sumi.
Deixe-me escrever alguma coisa aqui, então.
Ultimamente tem sido meio vazio. Não gosto de vir escrever sem propósito.

Estava conversando com um colega semanas atrás. E não sei porque, viemos a discutir sobre os cinco sentidos e sobre qual deles sentíramos menos em perder.
Escolha difícil.
Eu não viveria sem a visão. Não teria como. Embora eu não pratique muito, não sei o que seria de mim sem desenhar, e sei lá se conseguiria escrever sem poder enxergar. E sem escrever eu não vivo, de jeito nenhum.
O olfato às vezes passa por despercebido no nosso dia a dia. Mas este é responsável pela grande parte das nossas memórias. Amo quando sinto um perfume e ele me faz lembrar de alguma situação, alguma viagem. Será que abriria mão disso e não sentiria falta? Mas não conheço muitas pessoas incapazes de reconhecer odores, então é improvável que isso venha a acontecer. Assim também acontece com o tato e o paladar.
A audição que nos permite sentir o afago duma voz amada, duma canção agradável ou do terrível som do trânsito em sua ausência nos faria completamente alienados do ambiente em que estamos. Mas ainda me faria menos falta do que a visão. Um mundo de silêncio com certeza soa desesperador para nós que ouvimos, e não posso imaginar qual deve ser a sensação de não saber o que é ouvir ou como lidaria com ela. Pelo menos que ainda assim existe uma forma de se comunicar através da linguagem de sinal. É um consolo agridoce, mas não deixa de funcionar.
A fala sim me faria muita falta! Cantar é uma das coisas que mais gosto. Foi a primeira coisa em que pensei quando consideramos a perda da fala na nossa conversa.
No final, não conseguimos chegar num consenso, como se é esperado.
Que assunto estranho, não? Com certeza uma pessoa que sofre de qualquer deficiência faria de tudo para se livrar dela. Mas eu que sou saudável, fico pensando e escolhendo do que abriria mão. Claro que não quero perder nenhum dos meus sentidos. E ao mesmo tempo, é uma possibilidade, mesmo que remota.
Bem, mas e quanto a você: que sentindo você acha que lhe faria menos falta?

Um comentário:

Chris disse...

Eita, você postou que só, Moni-chan.. nem vi~ >w<''
Eu também já pensei isso, várias vezes... se for loucura, ao menos você não está só~ xDDD
Eu optaria pelo olfato... acho que é o que traria menos inconvêniencias à vida geral... mesmo com a semi-perda do paladar e tal. Ei, talvez fosse melhor perder o paladar, pra poder comer legumes e verduras e ficar magra e saudável sem ter que sentir o gosto horrível daqueles troços~ tudo tem seu lado bom, né~ ;D >w<''

Reader