domingo, 17 de fevereiro de 2008

Sem Título Número 1

Quando era criança, não gostava muito de sorvete Napolitano. Principalmente porque tinha sorvete de chocolate, que até hoje é o que menos gosto na face da Terra.
Mas tudo bem, hoje sou maior fã de sorvete Napolitano... Tão bonito e tão gostoso.
Pensar nisso me deu uma saudade de algumas coisas da infância.
Principalmente dos parque de diversão e de andar naquelas rodas gigante de cadeirinha de madeira, que só passa aquela barra para manter a gente sentadinho. As estrelas ficam tão perto...
Era divertido! Amava brincar na pesca e ganhar aqueles bichinhos cheios de bolinha de isopor... alguns eram tão bonitinhos, estou certa que tenho uns perdidos por aí, nas minhas caixas de brinquedos, por quase não jogo nada fora.
E o carrossel! Hoje em dia, não sei onde alguém do meu tamanho pode ir no carrossel... todo lugar tem limite de altura e de idade. Agora só tem esses temáticos, repetitivos e radicais que não me atraem em nada, não tem encanto.
Foi gostoso ser criança na minha época. Não tenho reclamações. Tudo parecia tão diferente do que é hoje e muito mais simples.
Quem foi que complicou as coisas? Foi eu? O sistema em que fui criada?
Ou na verdade essa simplicidade era algo que eu acreditava haver visto a dificuldade de enxergar tudo na totalidade?
Queria poder voltar a sentir essa sensação, não exatamente voltar a ser criança ou voltar no tempo.

3 comentários:

Kyamel disse...

Ai, ai.........
Ler a sua matéria de hoje me deixou com uma saudade danada!!!!
Era tão bom andar em cima do muro, jogar taco na rua, pular amarelinha e corda!!!!!
Eu amava......
Tudo era tão bom e o tempo corria diferente, de hoje....
Quando páro e observo as crianças de hoje, vejo que tive a sorte de ter nascido numa época boa!!!
Não é legal ser criança hoje em dia!!!!
Tem coisas demais.
Acho que criança deve simplesmente ser criança..... fazer coisas de criança e não esse monte de coisas que os pais e as escolas obrigam as crianças a fazer....
Bjossssssss Nique....
Até +........
\\mel//

Rodney Hanter Porlok disse...

O mundo muda... fazer o que...
Eternamente estaremos com saudade do passado...
Recordar é viver....
Se não recordamos é porque não tivemos vida anterior ao agora... e se não tivermos isso... o que temos?
Por isso o doce sabor do passado... Quando que nossos pais trocariam o peão e a pipa pelo supernes? E quando nós trocariamos o supernes pelo Counter Strike? E assim vai... cada geração tem seu ouro, sua história, cada época tem sua emoção... se não passássemos por essas fases complexas como evoluiríamos? As vezes evoluímos para chegar a lugar nenhum, as vezes para aceitar o mundo e viver melhor... mas no fim as coisas foram feitas para não terem sentido... e é assim que caminha a humanidade, somos eternamente prisioneiros da nossa capacidade intelectual, e enquanto os dados provar que ela só aumenta, mais aprisionados e infelizes seremos, porque mais iremos compreender o que não deve ser compreendido. Ou podemos ser otimistas e dizer que chegará um ponto que estaremos tão evoluídos que encontraremos a solução, e sendo assim, voltaremos ao tempo da inocência de igualdade mundial.
Em tempo: Que saudade de não ter que sentir saudade.

Annita disse...

Como não gostar de chocolate?
Enfim... Sorvete Napolitano...
Realmente não é a melhor coisa do mundo...
Eu, que ainda posso me apresentar como "criança", digo que as crianças de hoje tem uma vida muito mais "adulta"...
Eu nunca fui em um parque de diversões... Nunca andei na roda gigante e nem no carrocel...
Mas digo que toda infância tem seu lado bom, e também o ruim.. E quando se é criança (uma criança menor do que eu...) os pequenos problemas se tornam gigantes...
A infância é uma coisa boa...

Reader