domingo, 17 de junho de 2007

Ela está do seu lado

Não era desse jeito que eu queria inaugurar meu blog, surgido da simples vontade de abrir um. Entretanto, não posso ignorar o que aconteceu hoje, nem deixar de registrar a beleza humana que testemunhei.

Reafirmei em minha mente: ela está ao nosso lado, está cercando, fruto da imperfeição. A morte nos visita de repente, não importa como, mas marca presença.

Hoje, eu recebi uma visita da morte. Ela veio, me tirou de casa e me levou ao cemitério para testemunhar sua proeza, para ver as flores com seu perfume fúnebre e encantador. Eu ainda sinto o cheiro do crisântemo em mim, vejo as cores.

Se você quer conhecer quem você é, vá num enterro, vá a um enterro que tenha um parente seu envolvido, o mais distante que for ou o mais próximo. Veja os que você conhece lamentar e chorar, chore junto. Quem morreu, entretanto, descansou. Quem padece para sempre pelo o que houve são os que vivem. Então todos lembram que vão morrer, todos entendem que aquele que descansou vai fazer falta. A atmosfera silencia no momento do sepultamento. Quem colocava o assunto em dia enquanto esperava assume um ar solene e pesaroso outra vez. Quem chorava, chora ainda mais na despedida.

Quando eu compareço em eventos assim, me sinto perdida. Eu estou lá por respeito, sou uma espectadora. Ver minhas primas chorar me faz pensar em minhas próprias reações no lugar delas. Eu sei que não é fácil. Se a separação é triste mesmo em vida, que dizer de pensar que seu amado está inalcançável? Mas é graças as minhas esperanças que me consolo e tenho forças para pensar: no meu momento, vai ser diferente.

Você já pensou sobre isso? A morte é tão natural quanto viver, é conseqüência direta. Por que se rejeita tanto essa idéia então? Por que não nascemos para morrer, por mais contraditório que essa afirmação pareça. Não é isso que existe dentro de cada um de nós. Enganamos-nos em dizer que aceitamos a morte como qualquer outra coisa. Não foi assim que fomos feitos. É essa a verdade que aprendi, a única que consola.

Assim, nesses eventos lembramos que é importante nos preparar, treinar: quem convive melhor com a idéia da morte, morre melhor. E acho que nada mais tranqüilo do que viver essa situação, seja direta ou indiretamente, com mente serena, segura, do que em desespero. Já basta a dor que tudo causa, não impinjamos mais, tolamente, em esforço vão de lutar contra ela.

E quando o sol se põe, e tudo termina, escreve-se fim no livro daquele que faleceu. Resta aos vivos lidar com isso e continuar escrevendo cada um a sua história.

---

Texto do dia:

“Visto que sou, na realidade, apóstolo para as nações, glorifico o meu ministério.” – Rom. 11:13

6 comentários:

Rodney Hanter Porlok disse...

Oia que foi você mesmo que escreveu isso? Cumpre o que pretende, fazer pensar. Porém não sei se devo comentar numa situação assim, meio delicada, porém tão comum.
Mas, como eu sou um cara chato, e você me conhece, sabe que eu não posso deixar de ser o abusado que sou. Então, pela filosofia do texto, pense comigo, a morte é uma parte inevitável da vida, e ela não avisa quando vem, nem nada, então, poxa, mostre esse texto pros seus país e diga: "Tá vendo, deixa eu ir pra São Paulo, não tem perigo, nada vai acontecer, se acontecer é o ciclo das coisas" ^^
Meu deus, eu sou um monstro... pior que tenho consciência disso ^^
Mas tudo bem, sexta é nóis no museu.
E realmente hoje não é um bom dia pra comentar aqui porque estou com desvio de personalidade... considere esse comentário como inválido... ok...
Inté o próximo post....
Fuis

Smith disse...

Com certeza, depois de ler aquele texto, no poderia deixar de comentar e demonstrar que estou espantado com lado filosofo disso tudo :O ...
heheehehe, e com certeza nao estou taum inspirado para comentar algo realmente importante de se ler, entaum descarte esse comentario infeliz ...
mas antes de mais nada, eu tbm naum poderia deixar de comentar o comentario do kra que comentou acima ...
"... a morte é uma parte inevitável da vida, e ela não avisa quando vem, nem nada, ..."
como voce sabe que a morte naum avisa quando vem ?
ela nunca chegou pra vc ...
bom, mas nao vou iniciar uma discussao no blog da cristine-chan, jah que este eh um assunto muito delicado em se tratando da situacao ...
teh + ... otro dia eu vorto mais expirado ... :P

obs.: meu teclado desconfirou, naum sei como, por isso o texto ta sem acento ou coisas do genero .

Melina Santos disse...

Muito profundo o seu blog hein!!!!!!!!!!!
Mas afinal quem faleceu???
Tbm 'não me sinto nada bem em velorios....e o probl é como não consigo chorar na hora, eu vou guardando aquele sentimento dentro de mim, e isso me faz mal durante dias.................
Sinto muito...................e lembre-se sempre de que Jeová está sempre conosco mesmo em momentos tão dificeis como este.
Muitos Bjosssssssss...................

Rodney Hanter Porlok disse...

Populista sem noção, acaba de estreiar o blog e já tem 3 coments... ¬¬'...
Oras essa... pior que agora vai ser 4...
Mas não interessa, eu fui o primeiro... xD...
E o Robson usando negrito é deprimente... huahuahuauhhua nem pra tacar umas divs também... huauhauhahuauh
E eu não gosto do meu nome estar tudo minúsculo... aiaiai viu, vou escrever mais no meu blog só pra sacanear você... mwhuahuahuahu...
FUI...
Ah, e você é má... :(

Larissa disse...

Mo todos nós um dia chegamos a esta conclusão tão triste ,a morte não só é inevitável como também justificável, por termos uma insignificante exitência, quantas coisas fazemos e fatalmente nos arrependemos, ou quantas coisas não fazemos e nos arrependemos igualmente? Veja que contraste é a existencia humana, respira pra aspirar, constroe pra deteriorar, planta mas vai murchar, vive pra depois morrer...Mesmo sabendo os motivos científicos ou espirituais da morte não há o que faça abraça-la, resignar-se a ela, por iso a gente sofre a vida inteira, por quem morreu e por medo da morte , que bom que conseguimos externar tudo isso chorando ou desabafando né?Abraço...

Chris disse...

"Ela veio, me tirou de casa e me levou ao cemitério para testemunhar sua proeza, para ver as flores com seu perfume fúnebre e encantador. Eu ainda sinto o cheiro do crisântemo em mim, vejo as cores."

Essa foi a passagem que mais me impressionou. Que estilo de escrever mais macio, Moni-chan~ >u<
Sei lá, acho que macio é a palavra exata~ >u<

Mas sobre o tema, eu mesma nunca fui a um enterro. Já tive oportunidade, (parentes que eu nem conhecia) mas meus pais pensaram que não era necessário que eu visse aquilo, e eu meio que concordo.... despedidas são sempre tristes, não é... -_-

Mas opa, "ela está do seu lado"? Do meu não, sai pra lá! >u<

Reader