domingo, 26 de abril de 2009

E o que você tem a ver com a minha vida?

Um dia desses comecei a pensar o que constrói o relacionamento e a intimidade entre duas pessoas.
Rapidamente cheguei à conclusão de que é a capacidade de contarmos qualquer coisa um para o outro. A liberdade de falar a coisa mais desinteressante do dia-a-dia, como o que aconteceu na fila do banco, o sapato que viu na vitrine, o tanto de pessoas no ônibus...
E de repente, o desconfiometro avisa: mas é claro que a gente não fala essas coisas com qualquer um.
Já notou quando chega alguém perto de você, louco para puxar conversa, e começa a contar da própria vida com a maior facilidade do mundo, tais fossem conhecidos de décadas ou tal quais tivessem sido perguntados? Pessoas assim têm uma facilidade estranha de fazer amizades, pois estão dispostas a conversar sobre elas mesmas, abordando assuntos que talvez devessem confiar mesmo aos familiares e amigos, pessoas que se interessam nas informações – porque, quando alguém totalmente estranho do seu lado começa a contar para onde está indo, o que vai fazer, do que está com vontade de comer, a gente sempre pensa, aborrecido, "o que é que tenho a ver com isso?” (eu acabo pensando desse jeito, embora não costume ser fria mesmo em momentos assim).
Acontece também de repente eu decidir falar com outras pessoas, comentar as coisas, para ver se chamo a atenção de alguém. E costumo responder quando alguém assume o mesmo comportamento! Aquele papo de: “está quente hoje, né?” (em inglês, chamamos isso de gambit!), sabe? Aí, sempre acabo concordando!
E pior que amizades nascem assim. Desse mesmo jeitinho, mas não entre duas pessoas que aleatoriamente se encontraram em algum lugar…
Acabei fugindo um pouco do meu assunto…
Concluindo: pensando em tudo isso, entendi que se eu quiser construir um relacionamento, preciso ser aberta, franca e não achar que seria bobagem contar alguma coisa que não seja realmente importante. E através disso também, se percebe quem é digno de se relacionar com, porque dependendo da atenção recebida, compreendemos o quanto a pessoa é capaz de te suportar, apoiar e ouvir.

Um comentário:

Aиa Paula disse...

Meu Deus! É axatamente o que penso, mas não consigo explicar...
Algumas pessoas são impossíveis para se fazer amizade. Porque, ao puxar esse assunto comum, sobre o que aconteceu no dia, elas simplesmente te ignoram, ou fazem um "aham" de vez em quando...
Eu geralmente procuro ficar interessada nessas coisas que as pessoas falam... Atrai elas pra perto, e eu gosto de estar rodiada de pessoas.
E não suporto a solidão.
;D
Mesmo assim, algumas pessoas são mais confiáveis que outras. É assim que classificamos os melhores amigos, aqueles de quem você não esconde um detalhe, por mínimo que seja, do seu dia.
Também fazemos isso com namorados, mas não é muito seguro. Sempre se tem a chance de haver uma separação.
^^

Reader