sábado, 18 de agosto de 2007

E se...


Acho que esse se constituirá meu primeiro aborto. Não se assuste. Talvez, como sempre, eu esteja sendo dramática demais. Talvez, eu esteja sendo mesquinha e egoísta.

Ao mesmo tempo, é bom deixar as idéias fluírem um pouco para aliviar o peso que elas causam na mente da gente. Eu assumo as conseqüências daqui em diante. Você que assuma as suas ao terminar de ler.
E se você morresse?
Quantas vezes eu já não mentalizei o que poderia acontecer diante do recebimento da notícia que alguém querido para mim morreu! Eu ia chorar? Eu ia ficar em choque? Essa cena rolando na minha mente parece tão real, ao mesmo tempo tão embaçada, sem sentido. Pode ser que você me ache mórbida, fria ou até mesmo cruel, mas não, nunca desejei sua morte, pode ficar sossegado. Eu sempre me vejo em desespero ao mentalizar essas idéias funestas.
Mas o "e se..." que quero abordar não é esse. Foi levada por um desses pensamentos que me ocorreu:
E se eu morresse?
Pensamentos suicidas? Sim, já tive muitos. Acho que quem vive inevitavelmente questiona a morte, assim como eu já fiz aqui mesmo nesse blog. Estou sendo repetitiva? Pode até ser que sim. Meu jeito é ser prolixa mesmo, beirando o exagero. Se não gosta, pelo menos, releve.
E tem momentos da vida que tudo é tão escuro que só a morte parece solucionar a dor passada. Já achei que se eu não existisse, não faria falta. Já chorei a noite toda orando para Deus que me perdoasse esse desejo. Acho que hoje vai ser mais uma dessas noites. Acho que não...
E, de forma racional, às vezes penso como é que seria a vida continuando sem mim. Como reagiriam os meus amigos, meus pais, aqueles que tiveram algum contato comigo. Sairia um daqueles comentários sobre eu ser tão nova, sobre eu ter uma vida toda pela frente? Faria alguém feliz o fato de que eu morri? Mudaria algo?
Será que minha existência nessa Terra significa alguma coisa? Significa alguma coisa para alguém? Minha presença aqui faz alguma diferença?
Isso soa egoísta? Pode ser que sim. Ao mesmo tempo, não me importo muito com o que possa soar. Eu sou apenas um número entre seis bilhões... Quantas pessoas deixam de existir como indigente? Ninguém lembra delas. Ninguém lamenta, ninguém pára para pensar por quês, quandos e e-agoras.
É por que a vida vale mesmo a pena, senão eu já tinha desistido de viver.

3 comentários:

Robson Oliveira disse...

humm ... esse assunto denovo no blog?
uma visão um tanto pessimista, porém falta nas pessoas...

"Será que minha existência nessa Terra significa alguma coisa?" ...acredito que isso ja tenha passado na cabeça de muitas pessoas, porém eu diria "Será que eu faço alguma coisa que signifique alguma coisa?" ... nesse pensamento, e nessa reflexão que um dia eu cheguei a conclusão .. "EU POSSO FAZER A DIFERENÇA" ...bas ta querer...msm tendo que enfrentar muitas dificuldades em nossa vida e obstaculos pessoas que nós mesmos criamos...todos nós somos capazes de fazer algo que realmente valha...

agora, não basta somente refletir, e sim agir "AÇÂO"... eu adoro essa palavra ... quando estou em momentos down, eu mentalizo "AÇÃO" .. e boom ... to preparado...

porém, msm assim, hoje ainda não faço nem 25% do que eu gostaria de fazer... e ainda tenho muito que me organizar..mas espero não ter falado besteira..rsrsrsrs

Cristine-chan ... FORÇA AÇÃO POSITIVO ... adoro estas 3 palavras...e eu posso empresta ela pra vc por tempo inderminado da... num se preocupa em devolve não...eu tenho mais :P ...eahieauhiaeuhiaehae...bjus

Rodney Hanter Porlok disse...

"A caixinha aí embaixo serve para alguma coisa. Depende de você decidir para o quê...

Deixe seu comentário!"


Aiai, essas coisas me assustam ^^.
Enfim, acho que você já está meio velha pra esse pensamento. Com 20 normalmente a preocupação maior é a do futuro. Aquela inevitável vontade de olhar pra trás e tentar entender o que ira fazer com que esta a frente.
O pensamento sobre existência é meio que funesto nessa época.
Eu pelo menos passei isso com meus 16, 17 anos, logo após o problema na coluna. Após chegar a conclusão você não pensa mais nisso, porém, cada um chega a sua conclusão, e molda o resto da sua vida em cima disso.
Só o que posso adiantar é que, com idéias avançadas de tempo e espaço e interferência da existência nesse meio, você pode ou não ser algo bom no mundo, e, pela teoria da relatividade, você tem chances enormes de ter sido os dois. Agora, só em uma balança estratosférica com julgadores celestiais é que você poderia saber se foi a maior parte boa ou ruim.
Numa conclusão simples existe a famosa 'quote' de um filme, claro, sempre um filme a guiar minha vida, no caso desse, Minority Report, com a frase sobre sobrevivência. É o instinto primário do ser humano e todos os outros seres no mundo. Não importa o quando você deseje partir, você não deseja morrer. O que significa que existe uma força maior que está sempre impedindo nosso desejo de auto-destruição. Alguns de fato conseguem, mas porque eles mesmos dão o Game Over. Se no momento em que eles fazem isso, um leão ou tigre ataca-se ele, acredito que ele se defenderia, porque é isso que fazemos, sobrevivemos.
A partir disso existem várias perguntas e poucas respostas. Mas pelo menos temos um ponto certo nisso tudo: Estamos aqui, logo, devemos sobreviver aqui.
O resto que conseguir é lucro, de fato. Ai é tudo parte do ego de cada um, e da mentalidade evoluída que tanto destruiu o planeta que foi dada a esse macaco chamado homem.
Entende?
Porque eu meio que escrevi demais. ^^
Isso não vale, eu não tenho idéias pra escrever no blog e você fica ai, roubando meu tempo e minhas idéias pro seu. Hehehehehe.
Enfim.
Vou almoçar, acabei de acordar (13:05) que feio... huahuauhahua...
Inté...
Ah não, antes de ir, acredita que não tinha a trilha do Big? A faixa 07 (claro que ia ser sete né ^^) Toy Store Walking Piano é tão legal. Como nunca pensei em baixar antes... aiai..
Enfim, agora falou mesmo... acho que vou colocar esse coment como post do meu blog viu... facilitaria bastante ^^
Sério mesmo... huauhauhauha
Bom, falows...

Chris disse...

Eu nunca tive pensamentos suicidas... mas uma vez um imaginei que seria legal se eu morresse e ficasse vendo a reação de cada pessoa ao ficar sabendo na notícia, se eles iriam chorar e tal... mas depois, sabe-se lá como, eu voltava... :D
Talvez isso soe ainda mais macabro e funesto. o.o
Mas falando sério, nem pense nisso, viu? Se você se suicidar eu vou até aí e te mato! Ò_Ó
De verdade! Ò___Ó

Reader